Startup de educação investe em programa de parcerias para desenvolvimento de games - Keep N´ Pop

NOVAS

Home Top Ad

24 abril 2018

Startup de educação investe em programa de parcerias para desenvolvimento de games

Mesa digital PlayTable já está em mais de mil instituições brasileiras e marca inicia internacionalização. Mais de 2 mil licenças já foram comercializadas e a previsão é chegar a 5 mil até o fim do ano, proporcionando resultados para profissionais e estúdios de diversas regiões do país

Clubinho Salva Vidas é um dos parceiros da Playmove
Clique para ver maior | Imagem: Divulgação


Em um mercado que cresce exponencialmente, oportunidades de parcerias entre profissionais e empresas também não faltam. O aumento do número de desenvolvedores de games, que segundo a Associação Brasileira dos Desenvolvedores de Jogos Digitais (Abragames), chegou 600% nos últimos seis anos, motivou a Playmove a criar um Programa de Parceiros. Desde 2016 a startup de educação conta com o projeto e atua no apoio aos profissionais.

A marca é responsável pela PlayTable, mesa digital interativa que já está em mais de mil instituições brasileiras e atua como uma solução de suporte ao ensino através da tecnologia. Por meio das parcerias, já lançou 24 games. Atualmente, 19 profissionais compõem a rede da startup, que também já tem negócios fora do país. Com o recebimento de aporte de investimento de 2,6 milhões através do Criatec 3, a expectativa é que mais negócios se consolidem e novas oportunidades para os profissionais surjam.

De profissional contratado a parceiro da startup
Entre 2015 e 2107, o designer de games Ricardo Lopes atuou com a equipe da Playmove. Ao optar por seguir a carreira fora da empresa, viu no Programa de Parceiros uma oportunidade de continuar no segmento mesmo sem vínculo empregatício com a marca.

“É um investimento a longo prazo. Eu acredito muito no conceito da PlayTable, e, na sua proposta de tornar a sala de aula mais divertida. Tenho certeza de que a marca vai se tornar uma plataforma de grande sucesso para jogos educativos”, avalia.

Para Ricardo, a maior vantagem de ingressar em um projeto como o da Playmove é que a venda é feita diretamente pela startup. “Não precisamos nos preocupar com as questões de marketing e podemos ficar 100% focados no que sabemos fazer melhor: os jogos”, destaca. De acordo com o designer de games, a orientação para a produção do conteúdo é outro diferencial. “Além da parte pedagógica em si, a empresa conhece bem seu público, o que auxilia no momento de monetizar o game. Essa orientação é essencial para conquistarmos maior assertividade no desenvolvimento”, conclui.

Da segurança do filho à parceria para ingresso nas escolas
Quando criou, em 2011, o projeto Salva Vidas no Trânsito, o empreendedor Eliandro Maurat não imaginava que a iniciativa viraria negócio. A ideia, que surgiu para promover um ambiente mais seguro para o filho, se tornou o Clubinho Salva Vidas, plataforma online com uma série de jogos educativos. Com temáticas como trânsito, segurança doméstica e meio ambiente, os games encontraram na falta de estrutura das escolas uma barreira para a disseminação da proposta.

Para driblar esta dificuldade, o empreendedor ingressou no Programa de Parceiros da Playmove. “Quando criamos os jogos encontramos grande dificuldade para que as instituições de ensino pudessem utilizá-los como ferramenta de educação, devido a computadores sucateados, com internet muito lenta ou a falta dela. Foi então que conheci a Playmove e fiquei encantado com o projeto. Percebi que essa parceria seria ideal para disseminar nosso portfólio. Acho a proposta da PlayTable sensacional, inovadora e inclusive ajuda crianças com deficiências físicas e motoras. É muito mais fácil aprender brincando, elas amam jogar”, salienta.

Atualmente, novegames, um livro infantil e 15 clipes musicais do Clubinho Salva Vidas estão disponíveis na PlayTable.

Desafios dos games para educação
Para Ricardo Lopes, que hoje toca o próprio estúdio, o Play2Learn, tornar os games interessantes para as crianças, ao mesmo tempo em que abordam temáticas estudantis, é o grande estímulo. "A missão de fazer jogos educativos é de mostrar o quão estimulante é aprender e colocar esses conhecimentos em prática, coisa que nem sempre é possível ou é a prioridade do meio escolar. Além disso, a experiência de jogar é motivacional: você quer muito vencer e explorar as possibilidades, mas nem sempre consegue. O design do jogo garante que em algum momento você não vai vencer. A motivação e o desenvolvimento da confiança vêm da superação dos desafios colocados, e ele precisa interessar a criança”, avalia.

De acordo com Marlon Souza, CEO da Playmove, outros 10 games estão em desenvolvimento. Todas as ideias passam pelo crivo de educadores, para garantir que o jogo terá aplicação eficaz em sala de aula. “Já tivemos mais de 2 mil licenças vendidas. O que significa que para o parceiro há um retorno interessante. Até o fim de 2018 devemos ultrapassar as 5 mil licenças comercializadas”, finaliza. 

Programa de parcerias fortalece desenvolvimento de games para a PlayTable
Clique para ver maior | Imagem: Divulgação


Método das Boquinhas®, voltado para alfabetização fônica-articulatória e conversação, ganha versão digital para a PlayTable

Sobre a PlayTable
Criada para aliar tecnologia, educação e diversão, a PlayTable é uma mesa digital, interativa e multidisciplinar que pode ser utilizada por crianças a partir dos três anos de idade. Os jogos são criados com base nas matrizes curriculares e desenvolvem habilidades cognitivas e de coordenação motora, além de conteúdos como alfabetização, matemática, ciências, artes, história, entre outros.

A estrutura é segura e simples, o que permite que as próprias crianças façam o uso do equipamento sem a necessidade da intervenção de adultos. Graças à tecnologia empregada no produto, ele é recomendado para utilização em programas de inclusão com crianças com dificuldades psíquicas e motoras.

Sobre a Playmove
Criada em 2013 em Blumenau (SC), a startup Playmove nasceu a partir da união de dois empreendedores das áreas de tecnologia e brinquedos educativos. O negócio deu origem a primeira mesa digital com jogos educativos do Brasil, a PlayTable. Foram três anos de pesquisa até que o dispositivo chegasse ao mercado. Em 2016 a startup recebeu menção honrosa na categoria Negócio de Impacto Social do Prêmio Empreendedor de Sucesso, entre outros prêmios ao longo da sua história.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Páginas